existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
13
Jun 07
publicado por alemvirtual, às 10:27link do post | comentar

 tvtel.pt/tvtel34611/mauro/blogimagens/sol/sol.jpg

Não levei "o sol na algibeira", mas levei o sol comigo. O meu sol. Caminhou a meu lado e o dia ficou  iluminado embora as nuvens cobrissem o céu.

No imenso tapete verde do Parque da Paz ela sentou-se e eu corria e ela sorria e eu sentia-me em paz com Deus e com o mundo...

O meu sol tem sorrisos e o dia parecia sorrir...

 

Foi num final de tarde, num dia continuamente triste e escuro...O calendário diz-nos que o solstício de Verão está para breve, mas as temperaturas baixas e a chuva sem tréguas  parecem desmentir este acontecimento.

Há momentos em que o cansaço é grande, mas a necessidade de quebrar rotinas é ainda maior; sobretudo quando a rotina nos obriga a deslocações diárias casa-hospital. Os dias ficam inteiramente preenchidos com esperas e angústias. Os rostos em redor estampam na pele a cor amarelada da doença, os olhos reflectem o conformismo de quem baixou os braços. A única paisagem que se vislumbra são aparelhos e instrumentos que desconhecemos...mostradores digitais, alarmes sonoros, agulhas e fios...a multidão que nos cerca, não é a da cidade, em massa colorida e anónima, mas uma uniforme brancura à qual já se atribuem nomes.

Uma vontade imensa de ruptura com este ambiente, seus sons e seus cheiros que se impregnam na pele e na  alma, impele-nos e fechamos os olhos ao cansaço.

Urge mudar.

Onde ir? Para onde ir? Não há fuga e não é fuga. É sobrevivência, talvez uma fuga ou uma pausa momentânea, sim.

Nós não fugimos. Ela não foge. Levanta-se e sorri.

- Vamos. - diz-me.

E fomos. Ao encontro lenitivo do Parque da Paz.

Encontrei rostos conhecidos. Companheiros do mesmo clube, treinando...cada um ao seu ritmo. E nós fomos, apenas, mais dois seres naquele refúgio da cidade.

O dia para mim era de sol. Tudo estava iluminado. Ela sentada na relva fofa, sorrindo e eu correndo às voltas...senti-me pertença daquele espaço e confundi-me com a Natureza. O aroma húmido da caruma envolveu-me e o verde intenso coloriu-me. Já não sabia quem era. Talvez mais um elemento daquele quadro singelo...Creio que esvoaçei...

O tempo não conta. Contam as emoções vividas, os sentimentos sentidos, as memórias que perduram. Uma esperança imensa, avassaladora tomou de assalto a minha alma.

- Vamos. - disse-lhe eu.

- Não corres mais? Tens que treinar para os 30 Km. Vou estar em Portalegre com megafones a anunciar a campeã e com faixas e t-sirts com a tua cara.

- Hoje já corri o suficiente. Sorri.

Lentamente tomámos o caminho de regresso. Iríamos continuar a nossa outra corrida.

 

"Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!"

Cântico negro - José Régio

 

 

imagem retirada de:i5.photobucket.com/albums/y170/Nimby33/Alfred...
 

 


Paula

Conta comigo para os 30 de Portalegre. Por nada... e por tudo. Porque sim apenas.

E já sabes quando vamos começar não sabes?

Beijinho para ti e filhota e também para o filhote!

Ana
Maria Sem Frio Nem Casa a 18 de Junho de 2007 às 20:05

olá paula
o nosso sol aquece-nos em todas as nossas horas. temo-lo sempre connosco. temos a felicidade de o trazer dentro de nós. por isso os dias cinzentos têm menos margem de manobra.
um beijo grande para ti e para a família.
ab
António Bento a 19 de Junho de 2007 às 07:44

OI ANINHA..
Estava com saudade suas... ando meio na correria e infelizmente não tive tempo de passar por aqui...

Mas hj resolvi fazer um "tour" nos blogs dos meus amigos corredores... e deixar um abraço..

Super beijo e fique com Deus!
Jacke a 22 de Junho de 2007 às 01:03

mais sobre mim
Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO