existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
12
Out 07
publicado por alemvirtual, às 09:17link do post | comentar

Garota solitária

(Cantam: Tetê Espíndola e Alzira Espíndola

 

Esta noite eu chorei tanto
Sozinha, sem um bem
Por amor todo mundo chora
Um amor todo mundo tem
Eu, porém, vivo sozinha
Muito triste sem ninguém

Será que eu sou feia?
- Não é, não senhor
Então eu sou linda?
- Ah! Você é um amor

Respondam então porque razão
Eu vivo só sem ter um bem?

- Você tem o destino da lua
Que a todos encanta e não é de ninguém!
Ah! Eu tenho o destino da lua
A todos encanto e não sou de ninguém!

 

 

A propósito do poema que a Ana enviou e que fala da Lua, lembrei-me desta canção muito velhinha que a minha mãe, há muitos anos atrás, costumava cantar para mim. Também, poderia ser a canção da minha menina. Podia e foi. Mas não foi para sempre. Ela conheceu e viveu a mais bela história de amor. No seu destino ainda estava escrito uma página breve, mas intensa, de amor, muito e sincero amor.

 



Paula eu não a conheço sei da sua existência porque sou amiga/ colega da Ana Pereira há já mtos anos, só lhe quero enviar um beijinho e dizer-lhe que aonde a sua filha estiver desejará que a Paula embora com a dôr e o sofrimento lute por ir em frente... de certeza que é isso que ela em espirito lhe transmite... lute por si e pela memória dela... O seu sofrimento não tem tamanho e respeito-o de todo o coração...mas nunca desista como ela não desistiria de certeza... Ame-a e recorde-a no seu coração mantenha a chama dela viva ... Lutando por ir em frente - um grande beijinho com muito carinho de alguém que de vez em quando visita o seu blog...e ouve também falar de si com carinho
Teresa
Teresa a 19 de Outubro de 2007 às 13:22

Olá Teresa

Devo ter lido quase instantaneamente o seu comentário, pois estava aqui, a colocar uma foto da minha filhota e do meu filhote também. Parece que os assuntos "morreram", mas pelo menos algumas fotos, gosto de partilhar.
Agradeço as suas palavras.
Vou em frente, sim. Por ela e por ele. Afinal, os filhos são mesmo a razão de existir de qualquer mãe. Difícil, é e nada será como dantes. Faltará sempre um parte muito importante de nós. Infelizmente, sei que será assim para sempre, para todos e não apenas para mim.
Gostaria que toda a gente a conhecesse, pois a sua vida foi um imenso tributo à coragem e à força de viver, aliadas a uma bondade infinita. Não bondade de subserviência, mas uma bondade natural, carismática, própria de quem foi um ser humano excepcional.
Sei que me estou sempre a repetir, mas sinto uma necessidade enorme de falar dela.
Um beijinho Teresa e outro à Ana
alemvirtual a 19 de Outubro de 2007 às 14:07

mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
13

14
15
16
17
18
20

21
23
25
26
27

28
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO