existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
02
Mar 08
publicado por alemvirtual, às 22:09link do post | comentar

img452/8281/margotsentadapraaki2.jpg

 

Ontem, cheirava a mimosas e a narcisos em Constância. Um céu muito azul e um sol quente lembravam a antecipação da Primavera. Uma Primavera que já não chegaste a viver...e as Estações mudam e sucedem-se como se nada tivesse mudado e tu não tivesses partido. Para nós, doeu ter sentido o frio do Inverno e a humidade dos dias de chuva...as manhãs de geada nas margens do Tejo e o quente das tardes soalhaleiras. Esta brandura de dias que se sucedem a dias, insistem em trazer vulgaridade aos dias que nunca serão vulgares.

 

Os escuteiros cantavam alegremente..."Se crês em Deus". Moviam-se ao ritmo da música...dos acordes da viola, do órgão e dos estalidos dos dedos. A Igreja da Misericórdia - obra prima setecentista - de Constância, uma vez mais, acolheu na sua talha dourada a celebração em memória do teu nome...Ana Margaret Pinto Cotovio Dias Martins. Fazemos questão de colocar o teu nome completo no caderninho do sacerdote. Ele, como se adivinhasse o nosso desejo, nunca omite apelido algum. Com a sua voz trémula, de muitos anos de vida e de uma saúde frágil, esforça-se por dizer nome por nome...E toda os fiéis ouvem o teu nome: Ana Margaret Pinto Cotovio Dias Martins...6 meses.

Acho que todos os olhares convergiram para nós. Figuras tristes em contraste com a alegria das filas da frente onde inúmeros jovens de calção azul e camisa caqui, agitavam o lenço e cantavam em homenagem a uma jovem ausente. Ausente, não. Presente. Presente nos corações e na nossa memória.

 

A tua imagem rompeu o tempo e vi-te nas escadas do altar-mor, com o traje do coro, tocando flauta. Concertos de Natal perdidos no tempo...tocavas divinamente. Talvez seja o exagero do meu coração de mãe, mas acho que não. Recordo-me dos maestros e do carinho e da admiração que tinham por ti... piano (que pena nunca te ter chegado a comprar o de cauda que querias...), trompete, flauta transversal...dava quase tudo (ou será mesmo tudo?) para te ouvir de novo interpretar o Danúbio Azul...dizias-me: "Mãe, prefiro Sobre as Ondas". Eu, teimosa e exigente respondia-te: "Se queres tocar para mim, começa pelo Danúbio..."

Era a nossa valsa preferida. Imaginava-te sempre num vaporoso vestido branco, abraçada ao teu marido, num local qualquer, verde e ornado de ramos de flores campestres. Não cheguei a

realizar o meu sonho, mas continuo a imaginar-te...

Agora, o teu marido tem rosto. Um rosto que reflecte uma alma imensa e um amor infinito...por ti, pela minha princesa...continuo a imaginar-te...dentro em breve, comemorarias um ano de casada...e nós nunca chegámos a comemorar o teu matrimónio...o tempo, roubou-nos esse tempo...nem celebraste nenhum Natal, nem nenhum aniversário, nem...sempre o tempo...mas nesse breve tempo, viveste uma eternidade.

Agora, seis meses depois, continuas a viver na eternidade.

Na tua lápide, escrevemos "Até à eternidade a tua luz brilhará nas nossas vidas. Amamos-te"

 

Ontem, Constância aquecia à luz do sol do primeiro dia de Março. O Tejo espreguiçava-se e o Zêzere adormecia...E tua acima deles...

Levámos-te jarros brancos. Sob a luz intensa da manhã, pareciam ainda mais brancos. E os muros resplandeciam de brancura. E os mármores ainda mais alvos...Mas nada se compara à tua luz...até o sol perde o brilho quando se olha para ti. Anjo, deusa, menina ou santa...

Minha Rainha Margot...

Dia 1 de Março, sábado, 6 meses depois de um sábado...

Dia 9 de Março, numa sexta-feira, há um ano atrás...o dia do teu casamento...

Parabéns A(na) M(argaret).


Paula...

Dia 22, em Constância, vamos "correr pela Margaret" ? (como sabes...eu não sei que mais fazer... mas sabes também que para mim - assim como para tanta gente, tu incluída), o acto de Correr é tão mais que correr simplesmente... Correr para mim tem significados variados e de valor inestimável, como já te deves ter apercebido.

Deixa-me correr ao teu lado e contigo, em Constância. Pouco mais pouco e sei fazer Paula...

Eu gostava. Sem ter conhecido esse anjo, sinto orgulho em envergar aquela t-shirt com o seu rosto divino, mas nunca o farei sem ser essa a tua vontade, Paula. Guardo-a como se um objecto divino se tratasse e espero que tu queiras que eu a envergue ao teu lado.

Um beijinho
Ana
Ana Pereira a 4 de Março de 2008 às 20:37

Oi minha linda..
O tempo passa e imagino que cada vez mais sua filha está presente em seu coração.
Tenho certeza que ela está junto do Pai, olhando por ti aqui na terra... e com certeza tem muito orgulho da mãe que teve aqui.

Um super beijo
Fique com Deus!
Jacke
Jacke a 5 de Março de 2008 às 17:35

Ola Ana ...passei para deixar a minha homenagem a estrelinha pois sera sempre recordada da minha parte ...hoje vi a no programa , e todas as lagrimas que tinham cairam rosto abaixo ...e verdade a saudade bate forte dessa menina linda e amiga ....
gostava de saber onde posso comprar o livro ...quero mto comprar para guardar alguma coisa dela ...se poder responder agradeço ...
um beijo de mto força ...
solange a 31 de Agosto de 2010 às 17:30

mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
19
20
21
22

23
24
25
26
27
29

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO