existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
18
Mar 08
publicado por alemvirtual, às 22:59link do post | comentar

 

Bem sei que nos nossos dias, duvidamos de alguns pedidos de ajuda. No entanto, li um, colocado no endereço que aparece a seguir com o título "Sincero e humilde pedido de ajuda", colocado no dia 13 de Março que tomo a liberdade de divulgar aqui.

 

 http://saberajudar.blogspot.com/

 

 

Fica, pelo menos a intenção de ajudar. Não sei quem é. Desconheço mais pormenores. Mas...

 

Estamos na Quaresma. Porque não uma pequena renúncia? Um café, um maço de tabaco? Começando por mim, claro.

 

Não sei se estou errada ao entender o pedido de ajuda como sincero...mas se ao acreditar, contribuir para minimizar o sofrimento de alguém, vale a pena correr o risco.

 

Obrigada, em nome de  quem não conheço, mas algures espera solidariedade.


1) resposta irónica (para o caso de não perceberem):

Fiquei muito comovida. Estou quase a chorar.

Não se pode trocar o numero de NIB indicado no mail, pelo meu? Eu conto a minha história.

Ou outra, de outro alguém, ou ainda de outro, ou mais outro...ou mais outro ainda...daquele que dorme aqui à porta do meu escritório e nem sequer tem... NIB.

Claro, viva a boa vontade e os homens de bom coração e de mentes iluminadas.(na época que atravessamos até nos fica muito bem fazermos uma boa acçãozinha)

Eu... sou só um rasco ser humano que se esgalha para sobreviver dia a dia, com uma história diferente e igual à de tantos e tantos outros. Muito melhor que uns, muito pior que outros.

Querem que vos dê o meu NIB? Eu conto uma história.

2) Resposta séria: a ingenuidade (própria das crianças) é uma riqueza que vamos perdendo ao longo dos anos pelas partidas e chapadas da vida.

Feliz o que é capaz de a manter. Eu não fui.

Se pudermos prescindir de algum valor, que o façamos. De alguns bens, que o façamos. Há sempre alguém bem mais necessitado que nós, e o que não nos faz falta (ou que possamos dividir) talvez faça a diferença de tomar ou não uma refeição a outra pessoa. Perto de nós.

Solidariedade... sei o que é perfeitamente, sou-o raramente, confesso, o egoísmo venceu-me e prefiro andar calçada e com 2 casacos do que andar descalça e dar um desses casacos a um sem abrigo por exemplo, mas quando o sou sei a quem dou e para que dou.

Para um NIB indicado num mail???

Ok, sejamos bons, mas quando do bom se passa a "bonzinho", deixa-se de ser bom para se ser parvo.

Polémico isto, ah? Sou egoísta sim. E incrédula. E vós? Dividem a vossa mesa e cama com quem precisa?
Deixam de comprar camarão para comprarem mais pão e leite e o dividirem com quem passa fome?
Eu ... não.
Ana Pereira a 19 de Março de 2008 às 13:09

bem Ana

não vou discutir opiniões, nem histórias de vida, nem formas de ser e estar na vida, nem nada parecido, nem fazer juízos de valor sobre nada nem ninguém.
limitei-me a indicar um post para quem quisesse ler. o resto não é comigo. cada um é livre de pensar e opiniar sobre o que quer que seja. mas não era essa a minha pretensão. apenas coloquei o link para um post. nada mais. o que penso sobre este assunto vou abster-me de comentar porque não era essa a intenção.

Paula, quando temos um espaço como este, e se escolhe a opção de aceitar comentários, é um “convite” a que se comente, se dê opinião, se interaja de alguma forma com quem colocou o post e com quem mais que venha a ler. É essa (também) a função dos blogs que autorizam comentários (como o meu). Na maior parte das vezes é bastante salutar que as pessoas participem, dando origem a novas visões de ver as coisas, a chamar a atenção para algo ou simplesmente a dar palavras de apoio, ou de crítica, e desde que o respeito não falte, é positivo que tudo o que se pensa seja dito.

Peço desculpa se entendeste o meu comentário como uma crítica directa à tua pessoa, ou forma de estar. Não o é de todo. Jamais o faria ou farei. Tenho-te em demasiada alta consideração para o fazer.

Simplesmente opinei sobre “pedidos de ajuda”, sobre esse em particular, de alguém que nem sabemos se existe. Ponho em causa algumas acções de beneficência e de solidariedade, hipócritas actos de bondade (?) e abro talvez uma discussão por talvez não pensar como a maioria...

Falo para quem quiser ler, e também comentar, não propriamente para ti, que como dizes, nem foi tua intenção comentar o dito “post”. Talvez não devesses ter permitido Comentários neste “post”…

Mais uma vez te peço a ti, desculpa, se sentiste alguma agressão, crítica ou ironia directa à tua pessoa. Não o fiz nem será nunca minha intenção fazê-lo. Opinei sobre o assunto, da forma que sei e sinto, só isso…
Ana Pereira a 19 de Março de 2008 às 17:21

Não sei a quem recorrer mais estou numa fase da vida dificil e infelizmente tentei pedir auxilio económico médido e alimentar através de email para muitas firmas, clubes de futebol etc. até hoje so tive o continente que que muito simpaticamenteme enviou umas pequeninas coisas para os meus dois filhos mais velhos uns cadernos e outras coisas para a escola e uns miminhos para o bebe. Somos um casal que tem estado a viver da ajuda do banco alimentar, da Igreja de onde os nossos dois filhos são acólitos (Forte da Casa) e neste preciso momento estamos en vias de ficar sem a nossa casa porque não temos tido possibilidades de poder pagar ao banco e ja temos a nossa casa a venda faz dois anos mas não aparece ninguém para comprar, eu pensei que tentando pedir ajuda aos sitios que escrevi acima talvez conseguisse ultrapassar mas cheguei à conclusão que as pessoas quanto mais têm menos dão e também não quizeram saber se quer se a minha situação era real nem mesmo pelo telefone. Eu posso dizer que embora esteja numa situação de desespero total ainda me tenho conseguido dividir entre psicólogo do meu filho mais velho que se encontra com problemas emocionais (adolescencia e perceber que os pais não estão a conseguir fazer face a vida) tenho ajudado a angariar ajuda para uma mãe solteira de 18 anos e que também tem estado com a dificuldade de conseguir ter as coisas basicas para o bébé (neste momento já lhe consegui roupa banheira carrinho biberons e muitas outras coisas através da igreja cafés e pessoas com quem vou falando, tenho muita pena que não possamos ser todos assim com vontade de ver alguem a ser feliz com um bocadinhho de ajuda, infelizmente chego à conclusão que só quem é pobre e que pensa em dar ajuda a alguém.

FELIZ NATAL
mario ventura a 13 de Dezembro de 2008 às 17:14

Mário Ventura

Se por ventura existir alguem que me queira contactar podera faze-lo para o tel. 21 008 60 48 ou por email: marioventura40@sapo.pt

o desespero da minha familia é muito grande e ninguém imagina a vergonha que temos de chegar aos 40 anos e precisar de pedir para existir, o que mais nos custa é pelos nossos três filhos, temos vergonha de os obrigar a existir num mundo que não presta, em que ninguem é sincero e ninguém se preocupa com os males dos outros, quando vemos as ajudas que dão para instituições sejam politicos sejam fotobolistas clubes, por muito triste que possa ser só o fazem para serem conhecidos porque são uma figura publica que se preocupou mas na realidade quando alguem como eu lhes pede ajuda como tive a resposta de um certo club de fotebol me respondeu: não podemos dar esse previlegio ... - muito sinceramente eu nunca tinha pensado que precisar de pedir para comer entre outras coisas fosse um privilégio, mas se calhar sou eu que não percebi isso.

mais uma vez obrigado.
mario ventura a 15 de Dezembro de 2008 às 12:05

Necessito de doação de barbantes e linhas de crochê para fazer tapetes, pois tenho um filho que precisa de cuidados especiais e näo posso trabalhar fora e estamos passando por necessidades. Me ajuda por favor 61 84378122
rosangela a 24 de Outubro de 2011 às 19:04

mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
19
20
21
22

23
24
25
26
27
29

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO