existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
24
Fev 09
publicado por alemvirtual, às 16:39link do post

 

HINO AO SOL

 

 

 ... Oh!, disco solar que com teu brilho ofuscante pulsas como um coração e minha vontade parece tua. Oh!, disco de fogo que me iluminas e teu brilho e a tua sabedoria são superiores à do Sol."

 

Extraído do livro Nefertiti e os mistérios sagrados do Egipto

 

 

 

 

 

Apaixonada pelo Antigo Egipto e, particularmente,  por Akenaton  (Amenófis IV) e Nefertiti, pela sua história de amor e pela "ousadia" de adorar um só deus (Deus?), apaixonada por esta intrincada história de dois seres e sobretudo apaixonada pelo Sol, pela sua luz, pela sua Vida, tal como a minha filhota o era (recordo-me daqueles 4 ou 5 metros de corredor envidraçado em que a sua cama de rodinhas percorria a distância até à sala de radioterapia, do seu profundo suspiro de satisfação e do murmúrio: "Ah, o sol! Srª Enfermeira, mais devagar ..."), assim, também, sou eu.

 

 

 

 

Com que misto de dor e prazer, saio de casa, semicerro os olhos perante a luminosidade intensa e corro. Corro com lágrimas e sorrisos. Com cansaços e repousos. Com desânimo e coragem. Assim, também, sou eu. E sou-o com este sol que é meu; com esta vontade que me foi dada; e com a minha "estrelinha azul" a guiar os meus passos.

 

Como odeio cada vez mais os vãos lamentos. Com que agrura perguntaria: "porque vos lamentais?" . Da vida nada sabeis. Nem da morte.

 

Ligo o cronómetro e lanço um olhar pela estrada à minha frente. Sem carro, saio em passo de corrida na "montra" que é a minha rua. O destino é o Parque do Bonito.

Encontro outros corredores. Afinal, sempre existem corredores no Entroncamento. Vou descobrindo-os. Corro com a música do canto dos pássaros e as águas que se agitam no ribeiro. Corro com o eucalipto e o fresco dos pinheiros. Corro com o azul do céu e o verde da erva. Com os patos e o pó da estrada.  E com um alegre "Bom dia, companheira" que alguém me grita. Corro sozinha, mas nunca me sinto só.

 

Recomeçar não é fácil. Quem disse que o era? Dizer sim, dizer não. Hesitar, renunciar. Querer, não querer. Tudo faz parte da vida. E de mim.

 

Já conto com dois treinos para as 3 Léguas do Nabão. Não vai ser "pêra doce". Mas é assim que gosto.

 

Dia 21 Fevereiro - 48 min - 8,11Km

Dia 24 Fevereiro - 44 min - 7,74 Km

 

 

 

 


Olá Paula, fico contente de te ver outra vez recomeçar. Sei o que a corrida pode fazer. Tenho sentido a tua falta nas corridas a que tenho ido...

Será que nos encontraremos dominigo na Charneca?

No Nabão, conto lá estar também.

Agora Paula, permite-me por favor o seguinte comentário:

Dizes "...Como odeio cada vez mais os vãos lamentos. Com que agrura perguntaria: "porque vos lamentais?" . Da vida nada sabeis. Nem da morte."

Não odeies Paula, nem os lamentos nem os lamuriantes. Não odeies, só isso. Não julgues... nem odeies.

Os lamentos "vãos"... que podes saber sobre eles (os dos outros... ?

Não te faças de heroína na dor Paula. Respeito ao máximo o teu sofrimento que considero difícil de igualar e mais ainda de superar... mas por favor não julgues os outros, cujos lamentos consideras vãos. Não os julgues ao ponto de os odiar... O ódio consome-nos, destroi-nos.

Desculpa. Estas palavras podem parecer duras, frias, ásperas, más até, mas são o que eu sinto, o que eu penso, e se te as digo, é apenas como uma... chamada de atenção... um alerta para talvez te questionares se serás de facto a mais sofredora e a mais conhecedora da vida e da morte. Mais que todos... uma das poucas que se pode de facto lamuriar? Que tem razões de sobra para isso? Cujos lamentos não são vãos?

Desculpa Paula, o teu sofrimento por teres visto partir a Margarete, é coisa inimaginável para mim e para o comum dos mortais... não posso sequer dizer que compreendo, que percebo. Não compreendo nem posso perceber! Não sei até como sobrevives...

Mas não gosto de te ver afundar na dor, alimentando-a, sustentando-a colocando-te num pedestal elevado de dor, e heroísmos desses amiga, não te fazem bem nenhum.

Desculpa a sinceridade Paula, a intenção é ... fazer-te enfrentar a vida, a vida que tens, o melhor possível, com o que tens, as pessoas que tens, a quem amas, que te amam, te querem bem. Porque as há e tu bem sabes.

Mais uma vez desculpa... há assuntos que parecem tabu e deveríamos evitar falar, com medo de sermos mal entendidos, de provocar o conflito. Não sou assim. Não evito, se penso que valerá a pena. Se a pessoa em questão valerá a pena. Se me passa pela cabeça que deverias ouvir isto, aqui estou eu, a dizer-to.

E gosto muito de ti, também sabes não sabes?

Um grande beijinho Paula, e... desculpa ... qualquer coisa

Ana Pereira




Ana Pereira a 24 de Fevereiro de 2009 às 19:59

Ana

Talvez nos encontremos no Nabão, sim, ou antes, na Charneca. Nada está decidido.

Relativamente aos teus "conselhos"...sem comentários. Há coisas que se dizem publicamente e outras que guardamos para ocasiões mais adequadas. Há palavras que se escrevem e não se sentem e há as que sentimos, mas não escrevemos.

Beijinhos
Paula

alemvirtual a 24 de Fevereiro de 2009 às 21:20

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
26
27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO