existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
08
Nov 09
publicado por alemvirtual, às 00:36link do post | comentar

Entre tantos...

 

fotos propriedade da AMMA
 
Quando comecei a correr e a partilhar (algumas) emoções sentidas nesse mundo -  mundo feito de trilhos, caminhos e estradas, subidas e descidas, com muitos ou poucos corações tão agitados como o meu -  não imaginava o quanto a corrida viria a ser importante e a marcar a minha vida. 
 
Há bastante tempo que não corro, mas a corrida nunca mais será indiferente para mim. 
Acompanho com o olhar os poucos corredores com que me cruzo nas minhas "corridas" de carro, ao longo do Tejo. Eles com o seu mundo, eu com o meu. E o Tejo ao lado. Cruzamo-nos por instantes. E por, ainda, mais breves instantes, olhamo-nos. Desconhecidos. Rostos que não se recordarão mais. 
 
Porém, há dias diferentes. Dias que marcam, momentos que perduram, marcos como raízes em dias diferentes.
 
 
A primeira vez que corri pelo Clube do Sargento da Armada, há quatro anos atrás, viria a marcar um desses dias diferentes. 
Adivinhar o futuro é coisa reservada a mágicas bolas de cristal que não possuo.  Ou se tivesse poder de ler as estrelas teria percebido que, em breve, ganharia uma estrelinha no céu e que um punhado de gente vestida de azul e branco (as cores do meu Clube) nunca mais me deixaria só.
 
A corrida tem destas coisas. Coisas simples, como simples são os seus passos, um à frente do outro. Simples como a amizade que corre nos passos que duram exactamente o tempo dos meus passos. E entre centenas de pessoas, ou milhares de pessoas, continuam a existir pessoas especiais...
 
Anualmente, a secção de Atletismo do Clube do Sargento da Armada reúne-se num almoço convívio, oferta generosa do clube e organizado pelos seus dirigentes. Costuma-se "encerrar" assim a época. Este ano assinalou-se não o fim, mas o "início" (se bem que o início, seja marcado tradicionalmente pela corrida da Festa do Avante). 
Logo após a Corrida do Tejo reunimo-nos nas instalações da Sede do Clube em Lisboa para saborearmos umas iguarias, tão  bairristas e genuinamente portuguesas quanto o empedrado sinuoso do fim da linha do eléctrico 21.
O Tejo, agitado neste dia, vê-se revolto das varandas do salão.  O dia quente de Outubro aquece, ainda mais, as vozes animadas que se cruzam e refrescam em goles de vinhos encorpados. 
 
Sinto-me bem no grupo. A corrida tinha sido difícil, mas o Fernando, meu grande amigo e Vice Presidente do Clube, acompanhou-me. Em cada quilómetro, em cada passada mais difícil, havia um sorriso, umas palavras de incentivo, uma "teimosia" em impor a si o ritmo lento, o único que eu conseguia...E foi assim, até ao final da prova. Acho que se pudesse teria respirado por mim. Não porque seja eu, mas porque o grupo sente e vive como um grupo.
 
Breves discursos dos dirigentes do clube e companheiros de corrida. Do Presidente Albano Ginga e do Vice Presidente Fernando Oliveira. Palavras sentidas e sinceras com muita emoção à mistura. Somos uma família. Uma família que corre com um coração branco de paz e as costas azuis de quem leva a imensidão do mar em cada caminho da terra. 
 
Depois, as palavras...o convite a que eu partisse o bolo...E as palavras ecoavam ainda nos meus ouvidos. Confusa. Homenagem? Emocionada. As lágrimas à espera de um descuido. A mim? Porquê?
Agradeci. Acerquei-me da mesa onde tinham colocado o bolo e champanhe. Ia a segurar nos talheres quando percebi. A cobertura era uma grande fotografia do grupo. Deste mesmo grupo que em Constância tinha corrido com uma menina ao peito e uma frase nas costas "Margaret, hoje corro por ti"...
 
A corrida nunca passará a "correr" pela minha vida. 
 
Ao Clube do Sargento da Armada, simplesmente, obrigada.
 
 "O valor das coisas não está no tempo em que elas duram,

mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".
(Fernando Pessoa)

 

 

 

 

 


Passei por aqui e vejo que houve mais uma corrida do ou (no) Tejo. Ainda bem que assim é! Tu deves continuar a correr, com as pernas, com o coração, como conseguires.
Nós continuamos por aqui a correr a teu lado.
Beijinhos,
Quico e Ventor a 9 de Novembro de 2009 às 21:01

Olá, que bom ter participado na corrida do Tejo, tentei avistá-la, mas não consegui, pois o meu pai, o Joaquim Adelino, tinha um dorsal para a prova dos 14 kms no Porto, e lembrou-se logo de si.
Quero encontrá-la em próximas provas.
Beijinhos e tudo de bom
Susana Pinto a 19 de Novembro de 2009 às 01:10

Que Deus Ilumine a Senhora.
Glória a 21 de Dezembro de 2009 às 18:14

Um feliz Natal recheado de paz. Boas entradas, um 2010 em grande. Bom Carnaval e uma Páscoa feliz. Um óptimo 25 de Abril, 1º de Maio, Dia do Pai e da Mãe. Goza bem o S. João, Santo António e todos os santos populares. Feliz aniversário e excelentes férias. Pronto, tá tudo despachado até 2011! E não te esqueças de ser feliz!
Carlos Lopes a 22 de Dezembro de 2009 às 22:28

Olá amiga Paula.
Volto ao seu cantinho para lhe agradecer a mensagem que me enviou e me encheu ao mesmo tempo de alegria pela amabelidade que teve para comigo nesta altura. Para si que considero uma mulher com um M muito grande e a quem a vida não tem sido nada fácil, eu desejo uma vivência o melhor possível no seio das pessoas que lhe são mais queridas para o Ano que agora começa. Os amigos terão também um espaço no seu coração e vai concerteza continuar a partilhar com eles um pouco da sua vida, assim espero eu, pois quero lá estar sempre que seja preciso.
Um beijinho do Pára.
joaquim adelino a 3 de Janeiro de 2010 às 00:44

mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO