existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
10
Jun 10
publicado por alemvirtual, às 21:16link do post | comentar

(abrigando-nos da chuva...António, a Chefe Adelaide, eu e o "pai" Melro, nosso querido repórter.

Ana, não resisti e fui buscar esta foto ao teu álbum

http://picasaweb.google.com/anamariasemfrionemcasa/XVIGrandePremioSVicenteDeFora

Obrg. fotógrafa:))

Carlos, com que então não visito o teu blog? Nem penses! Sempre. Tu és o meu amigo Carlos Lopes, grande atleta, poeta e excelente pessoa. Até lá fui buscar esta foto tirada com a tua máquina para comprovar.  E vou lá buscar outra...

Na 1ª volta.

Foi a minha pior prestação nesta prova, desde há 4 anos consecutivos. Gastei 17 min e 07 seg  (3 km?). Como fui a única no Escalão de Veteranas III, alcancei, evidentemente, o...PRIMEIRO LUGAR!! Contribuí para o elevado número de taças e troféus conqusitados pelo meu CLUBE!

(O que uma só mulher vale!!)

 

"Lisboa, ladina que bailas a cantar, sereia pequenina que Deus guarda ao pé do mar"

 

Ladina, bairrista, menina e moça; mulher de pregão e de "chinela"; de roupa estendida nas varandas e de flores à janela. Lisboa antiga, de igrejas e calçada; miradouros e ruelas, becos e escadas; Lisboa, eterna noiva do Tejo e Tejo enamorado das colinas...

Aqui, em S. Vicente de Fora - freguesia onde se situa a Sede do Clube do Sargento da Armada (como carinhosamente costumo dizer, a última paragem do eléctrico 28) - corre-se no coração de Lisboa. Um coração simples que bate ao compasso das marchas populares, da sardinha a assar na brasa, das preces ao Santo "casamenteiro".

 

Nao fui sereia, mas senti-me pequenina, como filha desta Lisboa Antiga.

A organização da Corrida de S. Vicente de Fora mima-nos e brinda-nos com o que de melhor possuem: os braços abertos para receber. Um coração franco para apoiar. Uma Junta de Freguesia, paredes meias com o Panteão Nacional e uma corrida que daqui parte e aqui chega, como a lembrar que somos história, que temos história e que podemos fazer história. Uma história escrita com o orgulho de quem inscreve no seu nome, o nome de Portugal.

(Obrigada S. Vivente de Fora)

 

Foi tão simples...Aliás, para quê deixar de o ser? Fixa-se o olhar nos gestos simples, espontâneos, quase ingénuos. Sorrimos. Sorrisos de partilha e cumplicidade...um contentor que se torna "corredor" amovível para atletas que chegam e veículos que passam com famílias em busca do almoço de Domingo na casa dos pais ou dos sogros...um recolher em braçada os prémios que ainda restam quando a chuva repentina cai...

 

A corrida de S. Vicente de Fora deve ser uma das prova mais carismáticas de Lisboa. E a merecer mais participação. Urge apoiar as iniciativas locais, valorizar o associativismo e o voluntariado. Estar presente é uma forma de estimular e agradecer a existência e a persistência de quem se coloca ao serviço do outro. A primazia do colectivo sobre o individual, um valor que devia pautar a vida...

No desporto como em tudo na vida, nada se constrói sem esforço individual e empenho colectivo.

 

Em bairros que os anos começam a degradar, que a assimetria social é tão evidente, onde a distância de gerações origina formas de ser e estar na vida tão acentuadas, a promoção de eventos deste género, é uma forma simples de prevenir comportamentos de risco (entre outros). Veicular valores como o desporto é apostar num futuro que deverá ser tão puro e simples quanto foi o passado destes (e de outros) bairros lisboetas. Através do desporto, promove-se a adopção de hábitos de vida saudável. Através dos clubes e associações de bairro, preserva-se a tradição, a identidade e cultura.

 

Se se juntasse um momento de "palavras" (excertos da obra Camoniana) a esta manhã de corrida, seria uma "mistura" fantástica. De mão dada a corrida e a poesia...Poderia haver melhor estímulo para vencer o íngreme das calçadas?

 

 

Em cada ano, o Clube de Atletismo do Sargento da Armada "encerra" oficialmente a época com um almoço na sua Sede. Como sempre, um manjar digno dos deuses e das "sereias"...(se é que deuses e sereias apreciam um saboroso bacalhau conventual!). Momentos de convívio que cimentam relações, ou não fôssemos nós, portugueses, pródigos no convívio em torno da "mesa".

Bem hajam por nos fazerem sentir que o Clube é uma extensão da nossa própria família. Uma família alargada, onde todos temos lugar.

Convosco, nunca "perdi", apenas ganhei.

 

(Fernando e Adelaide, Magui e Henriquei, Ana e pai "Melro", Inês e Fernando, Pedro e Olívia e...muitos, muitos outros, sendo estes os mais próximos...Queridos amigos, carinho não se agradece, retribui-se. E eu gosto muito de vós. E, claro, nunca esquecido (como podia?) sendo último, um dos primeiros, António...quem me "guia" e me ampara.)

 

Antes da partida

O nosso chefe e meu muito querido amigo Fernando Oliveira, com mais uma taça para o Clube

A receber o meu troféu (1ºlugar, Vet III)


olá Paula,

Corri há 1 ano atrás com vocês essa mesma prova. Estive lá hoje em pensamento. O que interessa continua a não ser os tempos mas sim a alma com que se corre.
Continua.
Um abraço
Carlos Pinto-Coelho
Carlos Coelho a 10 de Junho de 2010 às 23:32

(continuo...a alma sonha já com outros voos:))

Sempre corri com alma, como em tudo o que faço coloco a minha alma. Por isso, às vezes, nem sempre faço coisas bonitas, nem certas, nem aquelas que são esperadas. São pedaços de alma e alma imperfeita. Ainda assim, a alma é o que marca a diferença entre a vida e a morte. Entre o esquecer e o recordar. A alma permanece além. E além do virtual, existe uma "outra_alma" que teima em não desistir e em fazer com que outros não desistam...por vezes, falho.
Sou assim. Imperfeita, mas guiada por uma estrelinha azul que, cada vez mais, me parece ter o "brilho" perfeito.

(Boas corrridas, Carlos que também adora correr)
alemvirtual a 10 de Junho de 2010 às 23:56

olá Ana Paula
parabéns por mais uma prova e claro, por mais um troféu! só quem está e corta a meta é que pode levá-los para casa. e pimba ... foste a 1ª a cortar a meta após a partida, portanto, nada a referir para além da justiça da atribuição :)
e parabéns pelo exemplo da Vossa equipa. Gente boa, vê-se e sente-se.
E esse teu sorriso vale tudo!
Bjs
António
António Bento a 13 de Junho de 2010 às 11:00

Olá Ana Paula
bela participação da ana Paula e dos "sargentos" a correrem em casa.
Parabéns pelo modo com trata sempre tão bem as palavras.
Beijinhos.
O homem que corre a 15 de Junho de 2010 às 23:19

mais sobre mim
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO