existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
04
Jul 10
publicado por alemvirtual, às 15:58link do post | comentar

"...Tenho um sonho..."(Martin Luther King)

 

Sempre fui apaixonada por sonhos. Mesmo quando a vida transformou os dias em pesadelos e as horas em angústia. Mesmo nessas horas tinha sonhos. E eram sonhos lindos. 

Há sonhos que não se podem viver. Por isso se chamam sonhos. E também por isso permanecem em nós, como se o real não tivesse acontecido, como se a vida pudesse ser apenas a cor dos sonhos que se buscam. Eu sonho em tons de azul. Do azul da minha estrelinha que passou na vida sonhando com a própria vida. Continuo a sonhar com ela. Continuo a sonhar por ela. Sonho com aqueles que estão aqui, com outros que estão além, com aqueles que nem conheço. E com todos eles e por todos eles se sonha...

 

Também eu continuo a acreditar que, um dia, a minha terra, o meu país e o meu mundo tornarão possível os sonhos das gentes simples. Daqueles que sem terem voz ousam gritar, dos que sem terem vez ousam esperar, dos que sem terem força nunca fraquejam. Por esses, por todos os que sonham e por todos os que já não ousam sonhar, correu-se esta manhã na cidade. Contra a pobreza, a exclusão, a dor e a solidão.

 

Há causas que nos ligam à vida. Há vidas que nos ligam a causas.

 

"Correr pela Inclusão Social", nos 512 anos das Misericórdias de Portugal. Eu, entre, cerca de 6 mil rostos que ainda acreditam que há causas que valem a pena. São múltiplas as contidas na frase "Pela Inclusão Social". Aqui cabem todas as diferenças, contra todas as indiferenças. Há algumas a que sou particularmente sensível: a integração social da pessoa com doença ou deficiência mental; a pobreza disfarçada; a solidão em fim de vida...

 

E há pessoas que pautam a sua vida pela ajuda a quem precisa. Hoje ouvi dois nomes que muito me sensiblizam: um, o da Drª Maria Barroso, o outro, um ícone do Atletismo, Rosa Mota. Se a um associamos imediatamente uma acção profunda no campo social, ao outro associamos conquistas e vitórias, esforço e sorrisos. E é este misto de serenidade e humanismo, de lutas e ternura, de lágrimas veladas e afectos algo contidos que emana dos nomes e das figuras. E elas, simbolicamente, marcaram presença em Lisboa.

 

Lisboa, cidade que já transpirava nos 30º pelas 10 horas da manhã. Cidade cosmopolita que se vestiu de verde luminoso como a esperança das gentes que têm sonhos. Um evento desportivo com uma excelente organização. Se não nos cativasse a causa, cativar-nos-ia o ambiente festivo, o colorido dos milhares de atletas nas ruas, os prémios atractivos, a facilidade do percurso. E claro, a sensação gratificante que se sente ao chegar como se de um dever cumprido se tratasse. 

Corri lado a lado com cadeiras de rodas, com referências a Centros de Reabilitação Física e Social. Com meninos e idosos. Corri com eles por que não posso correr por eles. Mas, todos juntos, podemos continuar a gritar, do cimo de uma varanda (que podia muito bem ser uma varanda de Lisboa): "Tenho um sonho".

Para que nunca sejam esquecidos. Para que sempre sejam lembrados. Correr pela inclusão social.

 

Eu, o António, o José Magro e a Maggui demos as mãos e cortámos a Meta aos 55 minutos e alguns segundos.

 

Eu tenho um sonho...dar as mãos é parte dele.

 

                                Vista do Parque Eduardo VII - Lisboa

Adelaide

 

A chegar à meta

António e José Magro

Drª Maria Barroso e Rosa Mota

Fotos em http://www.ammamagazine.com/


Olá Ana,

Para mim foi uma surpresa tê-la visto correr nas ruas de Lisboa, e foi bastante agradável ter interrompido a passada para cumprimentar-me o que deixou-me lisonjeado.


Continue apaixonada pelos sonhos, afinal de sonhos vive o "homem", e sem eles nada faz sentido, é certo que as vezes os sonhos tornam-se pesadelos imensuráveis e infelizmente reais, mas o sonhar ao menos permite também estarmos juntos de que se ama...

Relativamente à prova, plenamente de acordo, correr prr uma causa social e com a excelente organização, sendo que as inscrições eram grátis, fem pelno coração da capital foi lindo.

Do atleta "vermelhinho" que desta vez estava disfarçado,


Um grande beijinho e boa prova na Lagoa.
amantesdacorrida- a 4 de Julho de 2010 às 18:50

Olá Ana Paula
mais que os parabéns pela prova quero dar os parabéns pelo modo como trata as palavras.
Um prazer sempre passar por aqui, obrigado pela partilha.
Beijinhos do homem que corre (e das meninas).
António Almeida a 5 de Julho de 2010 às 12:55

Um beijinho enorme para as meninas e outro de agradecimento para o meu ex-vizinho, homem que corre e usa as palavras como ninguém.

Obrigada. Desde a primeira hora deste cantinho, o António sempre me incentivou e acarinhou nas horas difíceis. Na corrida e na vida...
Nem sempre a distância potencia afastamento. Embora afastados na distância, o António e família continuma sempre próximos.
alemvirtual a 5 de Julho de 2010 às 18:37

Olá Ana Paula, esteve a ler os seus diversos documentários, e em especial este, pelo que lhe vou dedicar um poema.
I
Julgo que a Paula é de Constâcia
Mas é uma grande atleta
Ajuda os irmãos a ter esperança
E com eles a cortar a meta.
I I
Escreve com todo o fervor
E com muita convicção
Na escrita mostra o amor
Porque tem um nobre coração.
Um Beijinho desde Fafe.
Lopes -Fafe a 5 de Julho de 2010 às 17:46

Não é grande o coração,
E de nobre pouco tem.
Mas envia a saudação
ao Fafe, pessoa de bem.

Obrigada, amigo de Fafe, sem nome. Desculpe a falta de métrica. Queria responder ao seu comentário no mesmo tom:-)

Um beijinho
Paula
alemvirtual a 5 de Julho de 2010 às 18:31

Muito bem Paula
Vejo que recuperou bem da Freita e a causa da inclusão com que se tem debatido, merecia, de facto a sua presença. E depois, claro, tinha de sair uma pérola de texto.
Grande beijinho
FA
Fernando Andrade a 5 de Julho de 2010 às 22:19

Olá Ana,

Gostei da visitinha ao meu blog :-)

Eu e o Carlos comentamos com o Fábio no inicio da corrida que seria interessante juntar alguns atletas como nós, que querem fazer a sua 1ª Maratona no fim do ano.

Há provas que nos podemos aventurar sozinhos, mas a Maratona acho que é muito difícil sem companhia, embora se possa arranjar companhia pelo caminho. Assim como os treinos para a mesma...

Com tudo isto só queria fazer um convite, caso estejas interessada, em te juntares a nós para este objectivo comum.

Estou no facebook também.
Beijinhos e boas férias.
Henriqueta Solipa a 6 de Julho de 2010 às 01:30

mais sobre mim
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
21
23

25
26
27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO