existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
09
Ago 10
publicado por alemvirtual, às 10:29link do post | comentar

Se correr aos "lusco-fusco" já é aliciante, correr ao lado do sol e abrir a janela para a noite, é fascinante.

Fascinante, misterioso, mágico, tal como a prova, assim é a "fortaleza" de Óbidos. ´

 

http://www.portugalvirtual.pt/_tourism/costadeprata/obidos/ptindex.html.

 

Entrar em Óbidos é penetrar no mundo mágico do passado. Como livro escrito a tinta nos tons do fantástico e maravilhoso infantil, assim se desfolham as estórias e a história da sempre vila medieval. 

A partida simbólica do páteo do castelo exalta a emoção que turva o olhar, qual cavaleiro que parte para conquistas incertas levando no peito ardente desejos de vitórias.

 

O dia esteve lindo. Céu azul, calor imenso, sem uma brisa sequer. Ao longe, ouvia-se o bramido do mar para além da forma arredondada da lagoa...

 

Parti com sol. "Assaltaria" o castelo noite dentro...

 

Receosa da "empresa" que abraçava, inscrevi-me no Trail mais curto, com a distância de 22,3 Km. Mas, fiquei com fome de trail...Apesar do tempo gasto (3 horas e 3 minutos) a prova decorreu sem dificuldade. Nada que se possa considerar "intransponível", nem sequer as escadas que rodeiam o castelo, ou a subida a pique cerca do quilómetro 16. O espírito de trail é diferente do espírito da "estrada". No trail saboreia-se cada metro, o olhar repousa na paisagem, o apoio mútuo é constante. Eu apoiei e fui apoiada. Sem frontal que me permitisse ver na escuridão, guiava-me pelas luzes do que corriam mais perto. Sim, mais perto que as estrelas, pois essas pareciam tão perto, mas tão longe afinal...Por vezes, tive a sensação de que lhes podia tocar...outras, parecia que me elevava até elas, ou que Marte corria ao meu encontro...

Entre amoras roubadas nos valados, um gracejo e um sorriso o percurso ia-se esgotando. Nos pinhais a areia fofa amortecia o impacto da corrida. Aqui e ali uma descida mais íngreme ou uma subida acentuada obrigavam a um maior cuidado. Os quilómetros assinalados aos 5, 10 e 20 eram recebidos por mim com uma salva de palmas que se estendia ao pequeno grupo que seguia perto.

E surgiu um cordão bordado de luz intensa roubando o brilho das estrelas. Porém, o brilho de quilómetros de prazer, em arrepios suaves na pele, permanecia. E permanece. Muito para além do virtual. Além das palavras. Além da objectividade dos números. Número de inscritos; número de quilómetros; números de horas e minutos...impera a subjectividade de quem correu ao lusco-fusco. E do dia se fez tarde e a tarde se fez noite. E na noite desceram estrelas trémulas e saltitantes no aroma intenso dos pinheiros, nos campos cultivados, nos silvados de amoras. Ao longe o mar rugia. Perto, tão perto dentro de nós, a acalmia de correr no entardecer de um dia perfeito e na suavidade de uma noite de veludo... 

 

Uma prova a não perder. Uma organização excelente. Abastecimentos fartos, (os intermédios de líquidos e na Meta em sólidos e líquidos). Apenas uma pequena observação: as instalações sanitárias que ficam logo abaixo da muralha do páteo do castelo deveriam estar abertas até que todos tivessem chegado e partido...apoiaria atletas e acompanhantes.)

http://trailnocturnodalagoadeobidos.blogspot.com/

 

(Estive rodeada de pessoas fabulosas. Famílias onde impera a concórdia, a cumplicidade e a união. Comigo partilharam tudo quanto são e tudo quanto têm. E este "tudo" foi tudo. Obrigada Orlando e Leonor, Carlos e Lina, Mafalda e pais. Ao António também, meu amigo das corridas e destas "andanças" em que o "obrigo" a estar.

 

Gostei muito de conhecer alguns atletas pessoalmente, uma vez que só os conhecia da partilha neste mundo virtual, em especial José Xavier e Amélia. Pode ser que, um destes anos, seja viável uma Maratona na Holanda.

 

Ao casal Almeida, Mota, Dias, Fonseca e a muitos outros que em família, com amigos ou individualmente escolheram o aroma da ginja e do chocolate para pretexto de corrida, fica a promessa de novo encontro em Setembro)

As fotos são retiradas do álbum do José Xavier

 

 


Olá Ana Paula
muito bom que esteve e que nos presenteia com belas palavras.
Também gostei muito de correr ao luso-fusco, da passagem pela Lagoa, dos quilómetros noite dentro, acho mesmo que nunca tinha desfrutado tanto numa prova de trail.
Também gostei muito de conhecer a família do Xavier, de ver por lá a minha "ex-vizinha", de reencontrar amigos.
Abraço e até um dis destes, a correr ou não.
afgalmeida@clix.pt a 9 de Agosto de 2010 às 13:18

Olá minha amiga Ana Paula,

Ao ler os seus textos é como também estivessemos igualmente a participar, têm esta capacidade e forma de transmitir/passar para o "papel" com descrições únicas que faz com que ao ler surjam imagens e fiquemos imbuídos e com vontade de participar ou como referi como também tivessemos usufruido da mesma experiência.

Devido a este texto irei fazer os possíveis para no próximo ano também tomar de " assalto" o Castelo, agora seria óptimo é que coincidisse com o Festival de Chocolate, seria ouro sobre azul :-))

Um grande beijinho do "vermelhinho"
Fábio Dias a 9 de Agosto de 2010 às 16:26

"Vermelhinho", guloso por chocolate!? Já sei que para a próxima corrida tenho de levar um bombom para te oferecer (ainda que se derreta todo nas mãos:-))

Acho que esta prova é "recomendável" para todos. Tenho certeza de que irias gostar. E poderias realizar fotos magníficas:-)

beijinhos
Paula, a Benfiquista (xiiiii..i.!!sto era "segredo" entre nós!)
alemvirtual a 10 de Agosto de 2010 às 13:03

Olá Paula
Tenho pena de não a ter visto em Óbidos. "Prendemo-nos" junto de um grupo e depois de outro... e outro e às tantas, ficou muita gente por cumprimentar.
Mas fico contente por saber que gostou desta extraordinária Prova. Diferente. Com todos os tipos de terreno; com todos os tipos de luminosidade e, como sempre, com um relato delicioso da Paula.
Parabéns e um grande beijinho.
FA
Fernando Andrade a 9 de Agosto de 2010 às 16:28

Boa Paula! Que espectáculo deve ter sido. Resta-me sonhar ao ler-te...

Um beijinho
Ana Pereira
Ana Pereira a 9 de Agosto de 2010 às 23:26

Olá amiga Paula, fico contente por saber que gostou da prova em que participou, outros nem tanto, mas nada como continuar a tentar para ver se as coisas melhoram no futuro.
O têxto está muito bonito e ajusta-se na perfeição a este acontecimento e à visão que conseguiu extrair deste bonito palco que tivemos a oportunidade de percorrer.
Um beijinho.
joaquim adelino a 10 de Agosto de 2010 às 00:48

Olá Ana Paula!
E correr iluminada é reconfortante.
Gostamos de a rever em Óbidos e presenciar a sua coragem e determinação.
Cumprimentos da família Mota
Luís mota a 10 de Agosto de 2010 às 01:04

Ai Luís....
nos beijinhos aos amigos de "longa data", esqueci-me do Luís...

pois, um beijinho reforçado a toda a família Mota. Um especial à Susan com quem falei largamente naquela tarde...

Paula
alemvirtual a 10 de Agosto de 2010 às 14:28

Olá Ana Paula
No meu daquela algazarra cheio de convívio de atletas, nem deu para nos cumprimentar e conhece-la pessoalmente e á minha família também, para próxima não facilitarei!! Eu tenho o dorsal 159, cunhado do António Almeida.
Boa prestação os meus parabéns.
bjs
Vítor Veloso
Vitor Veloso a 10 de Agosto de 2010 às 10:40

Boa tarde, Vítor

sim, eu sei quem é. O António refere-o muita vez:-)

Será um prazer cumprimentar pessoalmente o Vítor e a família. Creio que dei um beijinho à menina...

Encontrar-nos-emos em Setembro, no Avante.
Obrigada pelas palavras.
Paula
alemvirtual a 10 de Agosto de 2010 às 14:23

Parabéns Ana por mais esta participação em provas da modalidade, desta vez em Óbidos. Denota que estás em forma e pronta para continuar a calcorrear quilómetros de estradas e caminhos.
Se não fosse já uma frase feita, diria que és uma força da natureza!
A descrição de sensações e outros motivos da prova, também estão bem patentes neste teu blogue,à altura dos nossos melhores escritores românticos.

Um beijo e...Força!

M. Dacosta
Dacosta a 10 de Agosto de 2010 às 11:37

Tuareg,

Tal como tu; todos somos forças da Natureza. Uns mais, outros menos:-) Também existe a brisa suave que acaricia e o ciclone que destrói...

Que surpresa, deixares por aqui uma "marca". Vai "fossilizar"...

Até mais logo...
alemvirtual a 10 de Agosto de 2010 às 13:54

Amigos de "longa data" (Ana, Fernando, Joaquim, António)

Foi uma prova em "grande"!:-))
Adorei a prova e o convívio. Agora, voltarei em Setembro se Deus quiser. Obrigatório será a Meia de S. João das Lampas (vamos ver se é este ano!!)
beijinhos
alemvirtual a 10 de Agosto de 2010 às 14:26

E das ameias do Castelo surgiu não uma moura encantada, mas a Ana que não estando encantada, ficou encantada por uma prova onde o dia acaba e a noite começa.

E aquela luzinhas encaminhando quem os não tinha para a encaminhar foram sem dúvida as estrelas que iluminavam a terra.

Uma linda experiência e agora venha o trail seguinte mas desta vez não em versão light.

:)

Tudo de bom
mariolima52 a 12 de Agosto de 2010 às 20:06

mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO