existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
19
Fev 11
publicado por alemvirtual, às 10:58link do post | comentar

Permanece o tempo escuro e húmido. Amanhece, insistindo no tom pardacento de Inverno.

Na véspera tinha decidido que iria correr. Obriguei-me a um diálogo aceso entre a vontade de ir e o comodismo de ficar. A cama quente convida a uma manhã de preguiça, ou talvez de desistência. Com relutância afasto a roupa e levanto-me. Quem disse que as lutas interiores são fáceis? Quantas vezes se perdem os combates mudos travados no nosso íntimo! E quantas vezes se ganham estas batalhas! Então, sorrisos iluminam o rosto, o olhar, ainda triste pode desmentira vitória, mas calaram-se os gritos silenciosos da alma. Saboreia-se em notas adocicadas a amargura vencida.

Toda a noite tinha sonhado. Sonhos estranhos quase pesadelos. Barcos em águas revoltas; fugas de não sei quem; becos sem saída onde ficava presa; vozes magníficas entoando o "Canto dos Escravos Hebreus". E o meu desejo expresso: quando morrer quero que este cântico ecoe vivo e forte; Para que se grite que, se fui escrava, foi apenas da liberdade dos sonhos e da força de vencer.

 

Um arrepio de frio estremece-me o corpo. Quase me faz desistir. Quase...hoje, não dou oportunidade ao desânimo. Hoje, sou vencedora.

Gosto de correr à chuva. Gosto de sentir a carícia das gotas. Do misto de quente e frio.

Começo com um ritmo lento, hesitante. A respiração forçada, difícil.

Agora luto contra o corpo. Não apenas contra a vontade. Não desisto.

O céu insiste na cor escura.

Quando chove o aroma do campo intensifica-se. Cheira a terra e a verde; a pinheiro e eucalipto. Despontam malmequeres brancos por entre tufos de verde.

Os pés enterram-se na lama macia; chapinham em poças de água.

Estou molhada e cansada, mas não vencida. Essa é a força que me move a avançar. Encho o peito de ar e sopro o tecto escuro das nuvens. O céu desnuda-se num azul transparente.

O dia pode continuar chuvoso, não importa. No meu dia fez-se sol. Basta querer. Eu corri. A grandeza das vitórias pode ser a humildade de pequenos gestos.

 

 

link para ouvir http://www.youtube.com/watch?v=rmgQTBQ3Mfc


Olá Paulinha! Que bom que hoje essa luta foi vencida por ti. E sempre assim será, assim tu o queiras verdadeiramente - acho que esse é o problema, querer verdadeiramente vencer face à fácil tentação de desistir.... - olha quem fala, dirás tu e muito bem, pois...eu sei, eu sei...

Olha, amanhã conto eu também vencer essa luta e estar lá a correr, onde especialmente me lembrarei de ti, porque fazes falta e eu (e não só) sentimos a tua falta. E deixa-me confessar-te um segredo, assim baixinho que ninguém nos ouve: eu devo estar tão ou MAIS mal preparada que tu, apenas não tenho lesão nenhuma nem venho de nenhuma, é mesmo por inércia - muitas lutas perdidas :) - mas olha aquilo nem 3 km são...vou preparada para ser a última, e olha, isso já será uma vitória, dessas que se travam bem dentro de nós

Um grande beijinho e até... um dia destes
Ana Pereira a 19 de Fevereiro de 2011 às 18:33

mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18

20
22
23
24
25

28


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO