existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
26
Fev 11
publicado por alemvirtual, às 21:11link do post | comentar

Hoje tempo de treino: 43 minutos.

Foi difícil vencer a inércia. Por um lado, a vontade de correr e o desejo de me sentir (de novo) corredora; por outro, o comodismo a que me habituei. Não correr, não impor nenhuma disciplina. Apenas deixar-me estar.

Com a corrida das Lezírias tão próximo, tenho de mudar esta "hibernação" a que e remeti. Com a lesão, praticamente ultrapassada, deixa de haver desculpas para não treinar.

Gosto ou não gosto de correr? Não é difícil encontrar a resposta: adoro! Pois se se adora algo, há que lutar para a conquistar. Foi o que me decidi a fazer.

 

Existe um provérbio oriental que diz "quando se deseja muito uma coisa e se deseja intensamente, todo o universo conspira a nosso favor". Acredito que assim seja. Por isso, o Universo estará, neste momento, conspirando para que, de novo, chegue a uma linha de Meta. Todos os corpos celestes, a sua matéria e energia; todo o espaço sideral, conhecido e desconhecido; mais próximo e nos confins infinitos, saberão que quero voltar a correr. Unir-se-ão forças gravíticas; explodirão super-novas; nascerão estrelas azuis; E eu voltarei a correr...

 

Cá em baixo, na pequenez deste planeta que quase não é (já) azul, nem verde, existe a fragilidade de quem corre contra o vento, contra o tempo, contra o determinismo de fatídicos vaticínios. Mas entrego-me e confio. Entrego este desejo aos coros de anjos e às ninfas do Tejo; Confio que vencerei.

 

Enquanto corria, só me recordava dos velhos brinquedos de corda com mecanismos enferrujados...

endereço da imagem:http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/


Olá Ana

Durante a prova dos 20 km de Cascais, vi uma companheira do teu clube e perguntei por ti. Podias ali estar e gostaria de te rever após Alqueva.

Infelizmente disse-me que continuavas com o problema nos calcanhares.

Pelo que aqui leio, o pior já está ultrapassado, 43' vale mais que tempo nenhum.

À Lezíria, onde penso que o verde ainda persiste mesmo contra a vontade do Homem que tudo destrói à sua passagem, voltarás e as ninfas do Tejo baterão palmas à tua passagem. Mais um desafio vencido será.

Ainda me lembro dos meus velhos brinquedos, a ferrugem limpava com azeite e o sonho voltava a florir.

Tudo de bom
Mário Lima a 10 de Março de 2011 às 05:29

mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18

20
22
23
24
25

28


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO