existe sempre alguém ...passo e fico como o universo...
29
Abr 09
publicado por alemvirtual, às 19:00link do post | comentar | ver comentários (2)

 

Para quê procurar palavras se as palavras já foram ditas?

Para quê escutar a voz, se a alma quer silêncio?

Para quê escrever poemas se houve um poeta antes?

Para quê compor melodias se a música nasce em mim?

Para quê inventar um sonho se o céu já foi criado?

Para quê tornar especial as banalidades da vida?

Para quê tornar banal o que nunca será vulgar?

 

Para quê dizer "não" quando dentro gritamos "sim"?

 

As marcas que ficam nunca são coisas banais...

 

http://www.youtube.com/watch?v=OzrUs08-SWs

 

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudade
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir;
Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir;
São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder;
Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer;
A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera
Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera;
A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade;

 

(Mariza - fado)


mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
16
18

19
22
24

26
27
28
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO